Ser Professor, e fazer diferente, só é possível quando existem parcerias que nos ajudam a novos olhares e connosco trilham novos caminhos. Foi o que aconteceu na tarde do dia 30 de novembro, “Dia Internacional das Cidades Educadoras”.

Os alunos do 10ºI do Curso de Línguas e Humanidades e dos  Cursos Profissionais de: Técnico Profissional de Informática de Gestão (11º K) e Técnico Comercial e Técnico  de Comunicação e Serviço Digital (10ºN) foram interlocutores privilegiados através da apresentação de  posters científicos desenvolvidos com as professoras Elvira Rodrigues, Lurdes Lopes, Rita Gonçalves e Amélia Mota nas disciplinas de História A, Área de Integração, Sistemas de Informação, Comércio, Segurança e Gestão, Publicidade, Merchandising, Marketing e Comunicação.  

Tendo os alunos como principais interlocutores esta iniciativa contou com a presença de cerca de duzentas pessoas – alunos, professores, representantes dos pais e encarregados de educação entre outros convidados.

Os alunos do 11º J do Curso Profissional de Turismo  participaram no debate através da colocação de algumas questões que emergiram de um trabalho de pesquisa sobre o tema efetuado no âmbito da disciplina de Área de Integração.

Os alunos do 10º H  de Curso de Línguas e Humanidades também tiveram oportunidade de assistir acompanhados pelos docentes Marcelino Couto e Patrícia Duarte.

A articulação BE/Currículo ocorreu no âmbito das pesquisas para os  posters desenvolvidos pelo 10º I e 11ºK nas disciplinas de História A e Área de Integração.

Em jeito de balanço, transcrevemos de seguida um texto da autoria de Maria do Carmo Cruz, Professora, convidada presente neste Seminário.

Estou a pensar em ontem, dia 30 de Novembro, quando estive no Seminário “Ser aluno do século XXI, Desafios e Oportunidades”, promovido, entre outros,  pela Professora Elvira Rodrigues.
E estou a partilhar este momento cheio de esperança em que vi alunos conscientes do momento em que vivem, sabendo que, embora o futuro seja já hoje, eles não podem, nem nós adultos, imaginar o que será o futuro num espaço tão curto como 10 ou 15 anos. Conscientes de que a sua tarefa é preparar-se activamente para lidar com esse futuro. 
Gostei de os ver, desde que entrei na Escola Augusto Gomes, em Matosinhos e fui levada como uma VIP por um aluno que levou a sua cortesia, amabilidade e simpatia a dar-me o braço sempre que tinha que descer um lanço de escadas até ao Pavilhão Multiusos.
Apreciei-os a apresentar os seus trabalhos, em grupo, alegrei-me com o facto de eles terem trabalhado em grupo com professores de áreas diferentes, de terem recorrido a novas tecnologias, de terem sido os operadores de serviço, rápidos e eficientes, durante os trabalhos, entusiasmei-me, como os restantes presentes com os seus talentos para o canto e a dança.
Apreciei devidamente o envolvimento, de louvar, da Direcção da Escola, da autarquia de Matosinhos, e da Universidade Católica do Porto que, na pessoa do Professor Doutor José Matias Alves, traçou um largo quadro dos desafios que se se colocam hoje aos alunos, mas também aos professores, neste século que muitos teimam em encarar, na educação, como se estivem no século XX.
Na pessoa da Professora Elvira Rodrigues, felicito calorosamente a organização, a quem peço que continue a ser irrequieta e a quem perdoo pelo embaraço que me criou com a sua enorme amabilidade.

A todos, o meu muito obrigada por me darem tanta Esperança para o Futuro! (Maria do Carmo Cruz, Professora ).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nota Final – Uma palavra especial de  agradecimento à Câmara Municipal de Matosinhos (Vereador da Educação e Ambiente, Dr. Correia Pinto e Chefe de Divisão da Educação, Dr. António Coelho Lopes); Universidade Católica do Porto (Prof. Doutor José Matias Alves); Areal Editores; Rádio Matosinhos Online; Jornal de Matosinhos; Associação de Estudantes da ESAG; Bárbara Teixeira pela reportagem fotográfica; Pedro Sá pela elaboração do cartaz; D. Alice Ferreira pelos arranjos e D. Clementina Ferreira pela preciosa ajuda na reprodução dos materiais.

ER